Doar ou colaborar

Colaborar

Todos os pesquisadores deste projeto, até o momento, são voluntários.

Atualmente estamos testando a versão Beta da etapa Cibersegurança, bem como pesquisando sobre Privacidade.

Se você é usuário de Internet, gestor de GLAM, desenvolvedor Web, especialista em cibersegurança ou tecnologia da informação pode contribuir voluntariamente dando a sua opinião acerca dos recursos web da primeira etapa do projeto, disponíveis neste link.

Caso sua sugestão seja aceita e incluída no website, o seu nome figurará na Ficha Técnica do projeto e no rodapé do respectivo recurso, na descrição das versões. Se preferir, poderá também permanecer como um contribuidor anônimo.

Se você é um profissional da área e deseja colaborar conosco, entre em contato pelo e-mail anacecilia@ufmg.br 

Doar

A sua doação pode ser de qualquer valor e pode ser realizada, se preferir, via transferência direta aos nossos fornecedores. Caso queira doar e/ou contribuir com este projeto entre em contato pelo e-mail anacecilia@ufmg.br

Por que pedimos sua doação?

Com exceção dos serviços e custos de tradução, pagos pela PPGCI/UFMG, todos as demais despesas deste projeto foram custeadas por sua coordenadora e todos trabalham voluntariamente neste projeto. Saiba mais em Transparência.

A universidade pública brasileira é responsável por 95% da produção científica do país. Juntas, 15 universidades públicas produzem 60% do conhecimento científico no Brasil. (Relatório Research in Brazil, Web of Science; Jornal da USP, 2019; ). Dentre estas universidades se encontra a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), da qual fazemos parte.

Segundo o principal ranking brasileiro, o RUF 2019, a UFMG ocupa o quarto lugar geral entre as universidades do país, o primeiro lugar em Ensino e o segundo lugar em Reconhecimento pelo Mercado. A UFMG é, ainda, a universidade federal brasileira melhor ranqueada no Times Higher Education, um dos mais importantes rankings internacionais.

Nos últimos anos, as universidades públicas vêm sofrendo cortes substanciais em seu orçamento, com um recente congelamento que afetou drasticamente inúmeros projetos e pesquisas, provocando uma fuga de cérebros em busca de melhores condições de trabalho, conforme artigo da Nature.

Os fomentos estão cada vez mais escassos e, agora, a própria importância e credibilidade da ciência e das universidades públicas têm sido colocadas em cheque em nosso país, contrariando os fatos e o bom senso. A crise política que se instalou no Brasil se soma à crise, sem precedentes, causada pela pandemia de Covid-19.

Como já dissemos anteriormente, com exceção dos recursos para tradução, todos os demais custos deste projeto foram pagos por sua coordenadora. Esta situação tem sido cada vez mais comum na realidade brasileira, na qual os docentes arcam com os custos de suas próprias pesquisas.

Menu